Você costuma dar certo ou tem dado errado?

on segunda-feira, 6 de junho de 2011

O título do post é sugestivo, mas, o tema aqui é o dar certo na vida. Eu já fiz muitas coisas. Sou formada em contabilidade, cursei três anos de jornalismo e alguns meses de nutrição, comecei a aprender vários instrumentos musicais, joguei xadrez, pratiquei tiro ao alvo, entrei numas de cantar, tive sites de diversos assuntos e até um sebo virtual, aliás, a lista não está nem perto do fim. Simplesmente porque essa coisa de final é relativa.

Tem gente que me vê como alguém que está sempre tentando e nunca conclui o que começa. Eu digo que essa gente me vê, porém, não me enxerga. Ou não se enxerga? Ops! Não sei se as pessoas imaginam que devemos escolher um caminho e viver nele para sempre. Mas o que você quer da vida? Viver! Todas as fases são importantes e as minhas foram devidamente saboreadas. 

É claro que há os dissabores. Tenho síndrome do pânico e passo por altos e baixos, entretanto, eu não vivo em crise 24 horas por dia.  Ora vivo intensamente, ora respeito os meus limites. Isso não significa ser infeliz. Só revela que mesmo quem é feliz precisa superar obstáculos. Por falar nisso, eu te pergunto: O seu copo é meio cheio ou meio vazio?

Anos atrás, comecei a aprender gaita de boca. Hoje, eu poderia ser uma gaitista frustrada. Isso se eu não tivesse o hábito de percorrer caminhos tirando proveito do que aparece pela frente. Embora eu não execute uma nota musical bem tocada, minha vivência “gaitífera” é plena. 

Entrar de cabeça é uma delícia. Querer sair não é voltar atrás. Experiência não é descartável, pelo contrário, é soma. E colecionar “tantas já vividas” faz toda a diferença nas tantas por vir. Eu não seria louca de imaginar que é errado permanecer uma vida inteira no mesmo lugar. Dar certo na vida não é ser igual a todo mundo ou acreditar que só o nosso jeito de viver é o bom. 

Altamente recomendável
A queridona Carla Reichert do blog "Aqui neste oceano" escreveu belíssimas linhas sobre o tema apresentado nessa postagem. Vale muito a pena conferir:

7 comentários:

PriscilaG disse...

Me identifiquei muito com o post. Sou exatamente assim! Beijos, e boa sorte!

José S. Pereira disse...

Acho que as pessoas se equivocam mesmo, Luciana, e não te enxergam. Você concluiu cada etapa de sua caminhada no momento certo. Nem mais, nem menos. Para você, no seu tempo e não no tempo da platéia.

Essa cobrança "social" sempre existiu e vai continuar existindo. Atrelam a vida à produtividade. Socorro!!!! Querem nos transformar em operários padrão! srrs

Mas o negócio é ir vivendo. E "deixa que digam, que pensem, que falem... "

Abraços

Alexis Kauffmann' disse...

Olá, Luciana, excelente reflexão, que me lembra um poema:

ÍTACA

Se partires um dia rumo a Ítaca
faz votos de que o caminho seja longo,
repleto de aventuras, repleto de saber.
Nem os Lestrigões nem os Ciclopes
nem o colérico Posídon te intimidem;
eles no teu caminho jamais encontrarás
se altivo for teu pensamento, se sutil
emoção teu corpo e teu espírito tocar.
Nem Lestrigões nem os Ciclopes
nem o bravio Posídon hás de ver,
se tu mesmo não o levares dentro da alma,
se tua alma não os puser diante de ti.
Faz votos de que o caminho seja longo.
Numerosas serão as manhãs de verão
nas quais, com que prazer, com que alegria,
tu hás de entrar pela primeira vez um porto
para correr as lojas dos fenícios
e belas mercancias adquirir:
madrepérolas, corais, âmbares, ébanos,
e perfumes sensuais de toda espécie,
quando houver, de aromas deleitosos.
A muitas cidades do Egito peregrina
para aprender, para aprender dos doutos.
Tem todo o tempo Ítaca na mente.
Estás predestinado a ali chegar.
Mas não apresses a viagem nunca.
Melhor muitos anos levares de jornada
e fundeares na ilha, velho enfim,
rico de quanto ganhaste no caminho,
sem esperar riquezas que Ítaca te desse.
Uma bela viagem deu-te Ítaca.
Sem ela não te ponhas a caminho.
Mais do que isso, não lhe cumpre dar-te.
Ítaca não te iludiu, se a achas pobre.
Tu te tornaste sábio, um homem de experiência,
e agora sabes o que significam Ítacas.

Konstantinos Kaváfis
(tradução de José Paulo Paes)

BLOG DO PROFEX disse...

É preciso estar satisfeito com o que se faz. Quando aprendemos isso as coisas ficam mais gostosas. Toda experiência é cumulativa. E se nos acostumamos com o bem estar, sempre que uma situação nos nvolve, pensamos em extrair dela em primeiro lugar o que ela tem de bom. Só depois vemos os defeitos.
E pelo visto vejo que já se acostumou dar certo. É isso aí!

Carla disse...

Nossa, como eu precisava ler isso, passo muito por isso, pessoas me perguntando, mas afinal o que vc quer da vida?
Obrigada por ter escrito este texto,

abraços.

Jackie Freitas disse...

Oi Lú, minha querida!
Eu não tenho a menor dúvida que toda essa sua boa energia vem dos seus sabores da vida! E posso te afirmar que enxergá-la assim dá um tempero especial e diferente! Você é temperada, amiga! Ponto!
A vida é dinâmica e precisa de movimentos... Se ficarmos parados no mesmo lugar, contemplando o tempo, olhando as nuvens; ficamos a mercê dos temporais, sem prevenção e guarda-chuvas! Adoro conversar com pessoas que já experimentaram um pouco de tudo! Pessoas que se arriscam e que escrevem a própria história com as suas experiências e não imaginando ou se apropriando das dos outros!
Você é maravilhosa! Adorei o texto!
Grande beijo,
Jackie

Jhonny Lopes disse...

Parabéns, - não me lebro de ter autorizado você a falar de minha vida! kkk no seguinte trecho: "Tem gente que me vê como alguém que está sempre tentando e nunca conclui o que começa. Eu digo que essa gente me vê, porém, não me enxerga. Ou não se enxerga?" Isso diz muito de mim! Um abraço.

Postar um comentário

POR FAVOR, INFORME O SEU WEBSITE OU E-MAIL, NOME OU APELIDO E COMO CHEGOU AO BLOG. OBRIGADA!

Você já é um BB? Inscrições abertas!

......................................................


Blogueiros do Brasil

Amigos do Gostos e desgostos no Facebook

Amigos do Blog Gostos e desgostos