O que te dá asas?

on domingo, 18 de abril de 2010


Por esses dias, eu saí de casa com uma sacola de viagens e, prezando o conforto, usei a tira transversal. Confiante, eu caminhava a poucas quadras da minha casa quando avistei alguém andando um tanto saltitante e gesticulando de forma rápida.                      

A minha primeira impressão foi a de uma pessoa com um problema de saúde causador de certo descontrole da coordenação motora. Conforme fomos nos aproximando, eu percebi que era uma doença, porém, diferente do que imaginei na primeira olhada.

Quando o sujeito abaixou-se para procurar algo num canteiro, desses que ficam rentes aos muros dos edifícios, eu aproveitei que ele ainda não tinha me visto e atravessei a rua. Fui em direção aos lugares mais movimentados. Passei na porta de um clube cheio de gente e não me senti realmente ameaçada.

De repente, senti um ventinho, algo vindo de cima e me acertando em cheio. O rapaz não queria me assaltar, nem me machucar. Mas ele gritava com muita convicção que eu estava com uma coisa que lhe pertencia e queria de volta a qualquer custo.

Desesperadamente, ele puxava a minha bolsa para procurar o que estava perdido. Eu queria soltar, nem pensei em reagir. Mas a força dele prendeu o meu braço na alça. 

Um senhor, bastante idoso, tentou me separar da bolsa para poder me libertar da fúria daquele homem. Levou um desajeitado safanão e desequilibrou-se umas três vezes, mas não chegou a cair no chão. Ali eu senti mais insegurança, o medo de uma dessas tragédias que acontecem diariamente.

Em nenhum momento discordamos, eu e o senhor que nem sei o nome, de que algo estava perdido de fato. Não falamos nada, apenas tentamos entregar a sacola, conscientes de que aquele indivíduo não tinha a intenção de nos maltratar, apenas encontrar o que procurava.  

Alguém apareceu para nos salvar e aquela criatura correu tanto que desapareceu das minhas vistas mais rápido do que pude enxergar.

A pedra tão preciosa para aquele jovem descontrolado não estava entre os meus objetos. Aquilo que o fez voar até cair sobre mim é a verdadeira tragédia. E o que ele perdeu e nem percebeu foi a própria vida, mesmo que "o pulso ainda pulse".

Finalmente, eu consegui exorcizar aqui no blog algo que aconteceu comigo. Mas não diz respeito somente a mim. É um problema nosso.

15 comentários:

Fran disse...

esta pedra a que se refere ainda é "clandestina", mas se vc quiser comprar é mais fácil que pão, como já disse o Pensador.
E os liberados que causam dependência também? Conheço quem se matou por uma garrafa, mesmo que ao longo de anos tenha demorado o efeito do pulso parar de pulsa, a vida realmente se acabou qdo ficou só.
Fran

registremos disse...

Comadre, irmã, amiga! Que bom te receber também aqui no meu mundinho virtual! Perdemos os nossos pais para o álcool. E ao longo desses vinte e tantos anos de amizade, nós compartilhamos desse pensamento, de que o álcool também deveria ser ilícito. Porque sentimos tudo na pele. Vc sabe que quando saí dessa experiência aí da postagem, a minha cabeça estava um reboliço só. Voltando pra casa, vinha pensando que no lugar daquele rapaz poderia estar minha amiga, minha vizinha, esse tanto de gente que conhecemos e está na mesma situação. Lembrei das pessoas que vimos naquela clínica de recuperação que visitamos há pouco mais de 2 meses. E ao dobrar a esquina, deparei com um casal fumando um cachimbo quase na minha porta. Pensei até que fosse alucinação!

registremos disse...

Tiozão das Batidas: Esse lance do álcool não é nada pessoal, tá? Beijins ninjas.

Leila disse...

Que stress, heim? É por isso que quase não saio de casa...

Tiozão das Batidas disse...

Deixe-me primeiro grafar o nome da pedra para a indexação no Google : Crack .

Essa droga é tão destrutiva que pessoas que estudam o problema dizem que grandes traficantes não a vendem, pois querem conquistar e manter os usuários por um longo período de tempo e não matá-los literalmente.

Trabalho na noite de São Paulo e já vi muitas vidas serem destruidas pelo crack. Vi pessoas que tinham uma vida normal, casa, família, emprego, em pouquissímo tempo se tornarem moradores de rua. Vi meninas se tornarem prostitutas e meninos assaltantes para pagarem 10 reais por uma pedra. Vi um rapaz , amigo e "braço direito" de um irmão meu , ficar irremediavelmente xarope, doido babão mesmo, após fumar apenas uma pedra dessa droga. E, o pior de tudo, já vi um bebê que já nasceu viciado pois consumia o crack via cordão umbilical.

Sinceramente não sei como as pessoas entram nessa furada. Talvez seja por curiosidade ou pressão do grupo de amigos...sei lá. Quem trabalha na área das neuroses diria que essas pessoas já estavam doentes antes de serem vítimas da epidemia do crack; que elas tinham a potencialidade de se viciarem no que lhes primeiro fosse oferecido como refúgio para um problema emocional. Álcool, jogatina, obsessões compulsivas e até o sexo ( ninfomaníacos ) podem ser lugares aonde a alma doente se esconde do mundo.

Por que é que nem todos que bebem uma dose de bebida alcoólica se tornam alcoólatras ?

Infelizmente , o mesmo não acontece com o maldito crack; segundo consta na literatura , na segunda tragada o desavisado já está viciado.

Beijins ninjas.

Edson Palma disse...

Que pena isto ter ocorrido com você, Luciana. Ainda bem que conseguiu racionalizar a factalidade! ...Mas, sabe que a minha opinião é que talvez este pessoal tenha apenas sofrido na infância, surgindo os seres humanos que se tornaram; independente de seus reais desejos, sabe?!...Há, eu acho que não sei explicar direito, mais gosto de pensar que essa reflexão tira de mim a idéia de que essa turma é marginal e etc...

...Sobre o post no diHITT "6 Coisas Que Você Não Sabe ( Sobre Mim? )"...rsrsrsrs!!!...nem sei bem o que falar, mais saiba que foi um barato participar...

Até mais...

RR3075SS disse...

Éééé Lu,o mundo é deles,dos "malucos" de pedra!Quanto à outros "doidos", nós até que convivemos bem...rs! É como diz Erasmo de Rotterdam:"É a loucura que forma as cidades".

Jackie Freitas disse...

Nossa! imagino o susto que você levou, mas, tadinho.. o pior é que encontramos tantas pessoas como ele por aí...
Bjs

MARIVAN disse...

As asas adquiridas atravez do crack são asas que o viciado sente aquela liberdade passageira e que se torna passageiro de um voô sem volta que tem dois destinos certos: CAIXÃO COM VELA PRETA OU CHAVE DE CADEIA,
Agora o titulo da postagem pesava que era propaganda do RED BULL,
bjs MARIVAN

deste-mundo-e-de-outros disse...

Lu, que loucura. As drogas matam tudo, primeiro a dignidade, depois a consciência e finalmente a vida. Deve ser terrível viver de perto situações com dependentes.

Beijos
Luísa

Mr.Jones disse...

as vezes é bom exorcizar certos fantasmas "estress"

* ƬℋคƬคℓyScคℓ * * Scaldelai * disse...

Oi amiga Lu,infelizmente as drogas estão dominando o mundo...

Temos que orar por estas pessoas que procuram a vida e não conseguem achar...

Beijossssssssss............

Zergui disse...

Oi Luciana. Agradeço por ter aceitado o pedido de amizade no diHITT.

Eu tenho um blog (http://zerguipfleger.blogspot.com/2010/05/as-farc-invadiram-o-brasil.html) onde me atrevo a opinar sobre o porquê de estarmos à mercê desse instrumento controlador de massa popular, através da destruição de famílias. Há outros títulos concernentes.

Penso que nada disso é por acaso, ao contrário, é um planejamento meticuloso, abrangente (não só no Brasil), e de resultados desastrosos.

E o pior é que se aproxima do desfecho.

Lamento dizer mas, mesmo com o susto, o choque, que eu imagino você sofreu, isso são minúsculos dentes de uma engrenagem gigantesca que se movimenta com cada vez mais força.

Que Deus nos proteja.

lucianavaz.net disse...

Olá, Zergui! É um imenso prazer recebê-lo nesse espaço. Certamente, eu vou visitar o seu blog e ler com bastante atenção. Realmente, o susto foi grande e me deixou tensa por alguns dias. Mas concordo que o meu susto é um grão de areia comparado ao imenso problema que envolve esse tema. Sim, Que Deus no Proteja! Um forte abraço e muitíssimo obrigada por deixar o seu valioso comentário. Em breve, eu retribuirei a visita.

Rose de Castro disse...

É isso amiga... o craque enlouquece...por isso fiz aquele vídeo. Mas falamos, comentamos, escrevemos, poetamos, recitamos e os responsáveis por proteger nossa integridade e cuidar dessas pessoas "doentes", só querem saber de politicar. Isso me revolta. eles dizem: não existe cura...claro! ninguém procura...ningém investe...como já disse lá no facebook: craqueiros não votam!
Os pesquisadores conseguem encontrar remédios e vacinas para vários casos que antes não tinha cura, porque será que somente não há cura para esta dependência maldita???
Fico indignada! Revoltada mesmo! Geralmente são meninos que não tem nenhuma chance de nada...crianças largadas pelas calçadas...sem futuro...sem vida...sem nada...
Mundo absurdo!!!

Rose de Castro
Escritora, Ghost Writer e Poeta

Postar um comentário

POR FAVOR, INFORME O SEU WEBSITE OU E-MAIL, NOME OU APELIDO E COMO CHEGOU AO BLOG. OBRIGADA!

Você já é um BB? Inscrições abertas!

......................................................


Blogueiros do Brasil

Amigos do Gostos e desgostos no Facebook

Amigos do Blog Gostos e desgostos